sábado, 31 de julho de 2010

A caçadora
Um texto em homenagem a mulher lutadora. Um acorda para os homens que desejam que essa mulher goze ao lado deles e, uma homenagem ao dia do orgasmo!



Novamente me reportarei as mulheres e, mais uma vez falarei das que se tonaram fortes porque não tiveram quem fosse por elas, desde mais tenra infância.

Essas mulheres conseguiram um grau de liberdade e autonomia em função de terem tomado as rédeas da própria vida nas mãos, porque ao se verem sozinhas tiveram que determinar rumos, escolher o seu melhor... Fazendo assim, tomaram como comportamento uma postura no qual exclui-se todos os que não puderam ser de verdade, deixando de lado falsas ilusões e optando por uma forma mais coerente, madura e honestas consigo mesma.

A caçadora se tornou assim, porque teve que aprender a se defender da vida que lhe foi dada, ou em outras palavras, do buraco que foi metida. O que nunca nos ensinaram é que a velha estória do menino criado com lobos, ou de crianças selvagens entre outras, não é apenas estória e não ocorre somente na mata selvagem. O que não nos contam, até como forma de manipulação ideológica é que não só as mães que largam os filhos na lata de lixo que são as que realmente largam...

Mãe é mito em nossa sociedade cristã, mas cada vez mais no contexto da contemporaneidade essas mães tem largado seus filhos, ainda que dentro da mesma casa. Ainda que para os de fora, o comportamento dessa mãe seja impecável, mas não é! E quando se abandona uma criança, alguém passa a criá-la e esse alguém, vai de lobos no sentindo do animal de verdade, até os lobos devoradores da vida que estão sempre rondando, buscando a quem tragar, pois os lobos animais são capazes de cuidar, os lobos criados pelas fraturas de uma vida com várias nuances e que cria diversos tipos de pessoas nem sempre são capazes de cuidar, muitas vezes são capazes mesmo é de devorar.

Esses filhos abandonados são tanto homens quanto mulheres, mas meu texto fala, especificamente, da mulher abandonada, da mulher que foi deixada pelos pais, mesmo que esses estivessem ali ao seu lado... Sem orientação e sem rumo, essas mulheres criaram hoje um novo tipo de mulher, um novo tipo de feminilidade, não mais as histéricas, românticas e ‘desmaiadoras’ do final do século retrasado. Mas uma mulher com muito mais características de homem do que se poderia esperar... Mas não se tornaram homens, continuam femininas mas muito mais independente e autônoma...

Se tornaram caçadoras... e quem são essas caçadoras? São mulheres sedutoras, pois aprenderam a seduzir para conseguir, porque não tiveram nada de graça, tudo sempre custou muito caro. Sozinha aprenderam a ouvir a voz do lobo e a não se deixar cair em suas armadilhas, aprenderam a gritar para fugir das presas do inimigo, aprenderam a sorrateiramente abater a vítima, porque foram criadas por si mesma e o referencial era o lobo.


Chegam quietas e sóbrias, porque são caçadoras, porque farejam a presa de longe e a cercam, ficam dando voltas ao redor até que a presa se rende. Deixa a presa aparentemente livre, mas já a tem debaixo de suas garras, totalmente dominada.


E o maior objeto da caçadora, não se enganem é o homem soberbo, pois são os maiores inimigos dessa mulher, mas porque inimigos? Porque não se construíram simplesmente “foram” ou seja, agiram de acordo com o que as circunstâncias lhe trouxeram... Na realidade, não inferiram sobre a vida, apenas apontaram o dedo e analogamente a mulher acharam que essas eram suas presas. Uma das coisas que mais assombra no universo masculino e porque não dizer: o que mais magoa? É a capacidade de soberba que o homem tem, pode ser qualquer um, do mais rejeitado ao Senhor do Pedaço. A característica mais marcante dessa dureza é a insensibilidade na soberba, quando acham que já ganharam a parada. Acordou, cara leitora e você leitor, também alvo desse texto? Ficou atônito com a revelação? Era isso mesmo que você sabia, só não tinha dado nome aos bois?


Por isso, que forjada pelas circunstâncias não muito agradáveis da vida, surge a nossa heroína, a caçadora, realmente, uma Mulher-Maravilha, vinda do Olimpo para vingar as “coitadinhas” tão injustiçadas pelo mundo masculino.


Então, você pensa que é O Bom? Sinto informar... ou você é tão merda que só conquistou a carenta das carentes e ela, realmente, está com você porque não se acha capaz de ter nada melhor ou você até é “bonzinho”, mas que deixa muito a desejar e atraiu a vingadora, ou a nossa caçadora e, na verdade, vai comer o pão que o diabo amassou nas mãos dela!


Porque o texto não é um alerta feminino, mas masculino, se querem manter a soberba e continuar pisando bem feio na bola, ok! Mas, então, é preciso só deixar bem claro que você caro homem sem-noção não é a última bolacha do pacote e fique ciente: TODAS sabem o que vocês fizeram no verão passado! Ou seja, toda a vez que vocês “se acham” é porque uma mulher deixou, no caso, fez vistas grossas para a sua natureza implacavelmente fria.


Então, agora, dando voz a mulheres aviltadas por certos comportamentos masculinos, abaixo a lista de atitudes/machistas de homens que não só perderam a noção, como nunca tiveram:


(1) Você foi a boate e pegou a gatona de 15 aninhos, com umas curvas incríveis, de peitão e bundão? REVELAÇÃO: Desculpe, é a idade, ela ainda vai aprender e, com certeza, quando perceber o mané que você é, vai enfeitar tua linda cabeleira de CHIFRES!

(2) Você cantou a mulher 18 vezes e foram 18 vetos e, de repente, você conseguiu? Você é O Gostoso, né? Sempre consegue o que quer? REVELAÇÃO: em algum momento de suas insistentes cantadas, diga-se de passagem: tosca! Ela teve uma crise, um SURTO, passageiro ou não e ouviu vozes, talvez de demônios mesmo (?!)... Que se ela não ficasse com você nunca conseguiria mais ninguém... Pergunta: por acaso, você é adepto da bateção de tambor? Porque se você observar, parece que depois que o prazo do “feitiço” se esgotou ela passou a ter ver com outros olhos, tipo: um pedaço de carne podre que causa náuseas?

(3) Você é compulsivamente mentiroso e, ainda, conserva essa mulher ao seu lado? Jogue as mãos para o céu, primeiro porque ela SABE todas as suas mentiras e provavelmente viu algo em você que você mesmo nem se deu conta. REVELAÇÃO: trate de descobrir logo o que você tem de tão especial e páre de ficar batendo cabeça, ou seja, fazendo alusão de capacidades tão grandes que não correspondem ao mínimo da verdade, tipo: jogue fora a falsidade e viva a verdade: Vem para a luz!

(4) Você finalmente conseguiu levá-la para a cama, sabia que era bom, né? Era só questão de tempo! REVELAÇÃO: ela está tão atarefada e com tanto tesão que resolveu só dar para alguém conhecido, só pela segurança do conhecimento, mais NADA!


Então, você homem, caiu na armadilha da caçadora? Vixi! E agora quer, de verdade, essa mulher para você? Como fazer? Pedindo conselhos a mim? É... Na verdade é o prazer feminino o que mais frequenta o imaginário masculino, num primeiro momento pelo desejo de ser o macho, o verdadeiro que vai finalmente despertar de uma forma mais intensa essa deusa adormecida e olha que essa questão remete à Freud, ele já dizia isso...


Mas como já pontuado várias vezes, por mim e por outros também, ainda que a mulher seja um mistério, o prazer feminino também o é? Acredito que não, o prazer, posso dizer que a estrutura física de uma mulher, todas as suas terminações nervosas não é diferente de um homem, quer dizer, é só tocar que a chama acende.


Agora, queridos leitores, vocês ficaram bolados, como? Se é tão fácil assim, porque toda essa angústia e porque a caçadora parece tão distante de você, como se a tivesse perdido, para sempre!


Talvez ela não esteja tão distante como você imagina, mas para fazer ela gozar de verdade e querer você, o que falta? Maturidade de homem e o que isso significa? Saber que você não é o último pão da padaria, reconhecer isso, que você é somente mais um e não importa o valor que se atribui, fruto de crenças ou de mentiras, você só precisa de uma coisinha básica: não minta, fale a verdade e chegue viril com aquilo que a mulher não têm ou seja, o pênis! Só isso consegue fazer com que você consiga dela gemidos de prazer, porque você está inteiro, porque você não se acha, porque você só deseja essa linda caçadora e quer, de verdade, tê-la em seus braços e fazer-lhe gozar como nunca.

Bem, então agora cientes de que é isso mesmo e se há uma luz no fim do arco-íris, eu acendi a vermelha, falta as outras, mas você dá conta, é só inferir, eu dou uma luz, a realidade fornece outras e o tempo reelabora as ideias até torná-la numa única realidade concreta.
Margareth Sales

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Como é ir para cama com uma escritora?
Todos os meus segredos de alcova se encontram abaixo.



Todos os meus segredos de alcova se encontram aqui: todos os momentos, um único desejo me consome, em todas as horas do dia, mas me deterei, especificamente, aqui, a uma porção limitada desse tempo, a noite! A noite é então onde tudo acontece... Onde o desejo e a volúpia são maiores, onde não posso me deter e parar para pensar, pois um único pensamento me domina, uma única ideia toma conta de todo o meu ser, logo nos primeiros momentos da noite e se adentra implacável, até o momento que exausta já não consigo mais me conter e durmo saciada e tranquila, porque obtive de minha maior satisfação o gozo que tanto almejo todos os dias...

É claro que, queridos leitores, vocês já entenderam do que eu estou falando, conhecendo meu perfil em todo esse blog e, até mesmo via twitter, não há como se enganar sobre o assunto que será foco das próximas linhas. Ou há? Por um momento agora a dúvida atroz gelou meu ser, não, é claro que vocês sabem do que eu estou falando... Não! Vocês não podem estar enganados, é sobre esse assunto mesmo: O... Texto! Não era isso que você estavam pensando, como não? Fui tão clara no primeiro parágrafo, não há como se confundir... Poxa! Que furo!


Bem, agora que esclarecido está o tema desse, tão sensual, tão lindo e tão amado: Texto! Me ponho a continuar em minhas ponderações, o texto é e sempre será meu maior companheiro de cama, de mesa e, às vezes, porque não? De banho! Esse amor, tesão, loucura pela leitura não aconteceu agora, aconteceu, creio eu, logo no primeiro momento que percebi que eu era, ou seja, na tenra infância. Desde então não posso viver um só minuto sem ele, sabendo-se que para mim, texto, leitura vai além do conteúdo escrito, ainda que nunca abrirei mão do mesmo! Para mim, tudo o que se apresenta semiologicamente é um texto.


Então, vejo diariamente textos escritos, na internet, no computador, nos livros, nos outdoors, na face estampada de meus amigos que já sabem que para adquirirem tão maravilhoso título, serão lidos, diariamente, por mim. Em contrapartida, nunca obtenho sem dar nada em troca e em troca permito que me leiam, na realidade até gosto, amo quando me apreendem, quando conseguem me entender. Odeio quando me falsificam, quando dizem de mim coisas que não sou, nunca fui e que, talvez, nunca serei, então falsificar o texto escrito no coração das pessoas para mim é heresia e mal caratismo, se querem vir que venham, mas deixem que eu leia e se entendi errado, me perdoem e vamos conversar sobre o assunto.

Conversar é pois a causa natural de uma leitura proficiente de mundo e significa troca de ideias que obtêm como resultado conhecimento. Porque conhecimento é feito através do contato com o objeto e esse objeto pode ser uma coisa ou uma pessoa, sendo então que nesse contato muito se ganha. O motivo de muito se ganhar é que na troca com o outro estende-se um leque maior de opções de conhecimento, opções essas que só haviam em um número limitado comigo mesmo, mas quando eu me abro para o outro, eu dobro as minhas possibilidades, o que não acontece, então, se eu me abrir, todinha, ui! para um contigente cada vez maior de pessoas? A resposta é: eu vou duplicando, triplicando, quadruplicando, etc. minhas possibilidades de conhecimento.

E por isso motivo, por esse amor descomunal que tenho pelo texto que abri as portas do meu quarto e que você pode me ver ai em cima, na cama. Com essa cara de sapeca, será que essa menina-mulher da foto com cara de sapeca esconde todo o tesão que sente por um outro assunto que não seja, somente, texto? Não posso responder... Mas o melhor do outro assunto, segundo a literatura é, ainda, o mistério, pena que por falta de leitura de mundo muitos se perderam e não entenderam essa verdade tão bonita, tão singela e tão cativante, então... Fica a dica!


Tá com tesão agora??? Querem ler mais, então, mexe na barra de rolagem para baixo e se extasie com várias produções literárias, não esqueça de comentar, ok?

Margareth Sales

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Aberta: temporada do flerte!

video

Olha que nome mais antigo: flerte! Pergunto, será que fiz um blogcídio no momento? Mas de qualquer forma, serei corajosa e sigo adiante com minha ideia, até porque há dois dias atrás eu escrevi sobre o dia do amigo e... porque tem tanta gente tentando ser emocional ou se emocionar via redes sociais?

Porque, vamos ser frios e objetivos: feliz dia do amigo ou aquele e-mail que você recebe todos os anos, incansavelmente, não te tocou em nada! Acredito que essa onda de distribuir carinhos e afetos e, diga-se de passagem, “criar” dias para essas manifestações é porque há um esvaziamento de sentimentos e, esfriamento. Acredito que todos estão sentindo! E isso é muito ruim, porque não se consegue viver onde vivemos e como vivemos se não podemos enamorar (mais uma palavra arcaica), cuidar, gostar.

Por isso, estou aqui anunciando a todos os ventos que está aberta , oficialmente, a temporada do flerte e, essa é uma temporada muito especial e muito diferente porque para início de conversa flertar você poderá fazer não só com alguém desconhecido ou alguém que você sempre quis mas nunca teve coragem. Então, comece o seu flerte com seu próprio marido ou namorado!

E flertar, no sentido que estou estabelecendo aqui é: deixar para trás as coisas velhas e preocupar-se somente com situações novas. Eu tenho percebido que esqueceram a arte, esqueceram como é, acho que atualmente, nossos rapazes foram tão massificados pela mídia que, de repente, estão acreditando que flerte está diretamente ligado: faço sucesso, viro O Gostosão, tenho uma lista de cachorras/tchucas ou como a sociedade moderna coisifica o termo mulher e todas me idolatram e eu pego algumas trato como lixo e depois elas correm atrás.

Bem, parabéns para você que consegu
iu desse jeito, mas sinto dizer: a foda foi boa, né? Mas a mulher de verdade você não encontrou, nem poderia, essa turbinada que você pegou está morta a tanto tempo que nem percebeu! Faz falta um mulher de verdade, né? Uma que ria com você, não de você! Uma que te beijou mesmo sabendo que você era um sapo e olhe, agora você se transformou num Shrek, não é tão lindo a evolução?!

Então, já que você subiu de patamar no coração dessa mulher especial, que você reconhece que é, mas que você por ser um covarde para assumir essa verdade, acabou perdendo-a! Não está na hora de você tentar reconquistá-la? Não com técnicas arcaicas de desafio de poder, tipo: corda de força, quem aguenta mais tempo? Tsc.tsc. todos perdem!

Por isso, em nome do flerte, aí vão as dicas: primeiro, que tal trocar a fala agressiva pela carinhosa? Lembra quando isso dava certo? E não seja toupeira em achar que ela na primeira fala doce se derreteu, ela está dando corda para você se enforcar, ela vai continuar esperando até que veja se a mudança foi verdadeira ou é mais uma estratégia de xadrez de alguém que não sabe nem como anda com o peão desse jogo.

Note que a mulher de verdade gosta de ser amada, cortejada, o suposto desinteresse que você vê nela é fruto da maneira como você passou a tratá-la, primeiro: achou que a parada já estava ganha e, consequentemente, para que o esforço? Slept - tapa na cara para acordar! Ela é uma mulher e você conhece o ditado: quem não dá assistência... Então um olho fechado e outro aberto e cuidados redobrados! E não se esqueça de se comportar como macho e fazê-la dela uma dama, porque essa história de troca de papéis é um saco e não há mulher que aguente homem chorão quando ela quer é mais ombro para chorar!

Depois das palavras doces que tal colocar uma música, aquela que você sabe irá tocá-la e dizer: “Estava ouvindo essa música e não consegui parar de pensar em NÓS”. Deixa dada, observe a ênfase sobre nós, ao assumí-la como sua e misturar isso a uma canção bonita você não vai só conseguir pontos, mas fará ruir um muro de defesa levantado em tempos inglórios. Agora é quase como se faltasse só invandir, mas pega leve! Invasão só é permitida por motivos políticos, o MST que o diga, com a mulher amada vai ter que continuar se desdobrando no flerte!

Não flerte a distância, nem pensar, vá até ela, onde ela esteja e, principalmente, onde você esteja seguro em ir. Pois não adiantaria nada você ir ao terreno do inimigo para ser escurraçado, você também precisa de segurança, para chegar ao coração da mulher que ama, você precisa estar seguro para fazê-lo.

Talvez o grande mistério seja esse: seja o que ela precisa que você seja, não o que você acha que faria todos caírem aos seus pés, não é essa mulher que você ama? Então, será que a grande razão de sua vida não é fazê-la se sentir segura ao seu lado, mesmo que como Shrek, não como príncipe, mas você é o que estará ali, você será o resgatador, ainda que ela nem precise disso, mas ela precisa de ombro, com certeza, precisa!

Flertar com uma mulher é mostrar que tem tempo para ela, pois uma das coisas que mulher mais odeia e ver que você tem tempo para tudo, menos para ela. Ela se sente relegada, tipo, perde o seu valor quando nota que tudo em sua volta tem mais valor, é mais importante ou mais premente! Perca tempo com ela, leva-a para um cinema, uma volta de carro, deixe ela falar, nunca dê conselhos, só ombro e cuidado, mulheres ODEIAM conselhos, principalmente de homens, elas gostam só de serem ouvidas e abraçadas.

Esses são pequenos passos, pequenas decisões, pequenos flertes, mas não é um caminho fácil, não! Nenhum caminho é fácil, nenhuma decisão não leva enxurradas de situações por resolver, todos os caminhos cobram, a questão é o preço que você quer pagar, solidão? Ou amor? As cartas estão lançadas!
Margareth Sales

terça-feira, 20 de julho de 2010

Sobre o Dia dos Amigos
Sabendo-se que o meu blog se intitula: Amizades Líquidas e Outras Crônicas e sendo hoje Dia do Amigo não poderia deixar de falar sobre tal tema.


A primeira idéia que me vêm a cabeça é: mais um! Já escrevi sobre Carnaval, Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Namorados então surge mais um dia para escrever e esse, significativo, porque comemora-se o tema do blog. Dessa forma, não posso apenas colocar o meu olhar crítico sobre esse excesso de dias que são criados pela mídia para demonstrar o quão amoroso e cheio de sentimentos é nosso povo. Mas quero aqui enfocar um contexto mais amplo da amizade: Há amigos mais chegado do que um irmão. - Provérbios 18:24.

Porque falo isso, porque ainda que muito ligada a família sempre fui completamente cercada por amigos, em toda a minha vida, não há um só momento que um deles não estivesse ao meu lado. Alguns desses caminham comigo há muito mais de 10 anos, outros há poucos meses ou mesmo de uns dois anos para cá. Não sou uma pessoa solitária no sentido etimológico da palavra e me angustia, muitas vezes, quando fico só porque sempre estou acompanhada, mas tenho aprendido a reservar um espaço só para mim.


De qualquer forma, pega a cadeira e vamos sentar nesse trailler aqui da esquina para bater um papo muito animado sobre a amizade e sobre a amizade sólida, foco desse espaço. Mais uma coca? Ou todo mundo vai pedir outro X-tudo? Amizade então para mim é isso, as conversas intermináveis à tarde, até as 4 da manhã, no telefone, msn, mesmo que a gente more no mesmo bairro que o amigo, mas sempre tem algo que esquecemos de dizer.

Porém, amizade é também mais do que isso é aquele momento desesperador que não há mais para onde ir, que a ansiedade brota, que a dor comanda e que você corre para se refugiar no colo daquele que você não precisa dizer mais nada, porque já te conhece.


É aquele sorvete quando o amor da sua vida vai e você descobre que dá para viver e viver bem porque há uma quantidade enorme de amigos que te sustentam e te fortalece. Se uma imagem me defini, com certeza, é do filme Thelma & Louise com a força da amizade que vai e sustenta, se encontra ao lado, não questiona porque conhece, não duvida porque tem como companhia fiel e certa.


Num ambiente hostil no qual vivemos, num local onde muitos não são confiáveis, em situações onde a única postura que se adota é a traição e a deslealdade temos um porto seguro, nossa amizade. Amizade mais chegada que um irmão, amizade que deita na mesma cama que a gente, amizade que abre a geladeira, que liga a nossa televisão, na qual todas as nossas coisas se encontram ao alcance desse amigo. Porque compartilhamos, porque dividimos, dias, meses e anos, vida, emoção, dor, decepção, briga, muito amor, muita fé, chão, muitos vídeos, muita simplicidade de ser, como disse minha amiga @vivibarretorj no twitter: “Fingir ser diferente, nos torna diferente?”. Quem conhece o amigo não o apreende no parecer ser diferente, mas o entende porque esquadrinha, porque entende suas questões, porque vê antes dele mesmo qual o final que as suas decisões terá e porque estará ali, sempre, em qualquer momento que ele chegar e/ou precisar.


O melhor, alguns amigos foram embora e fica a tristeza e a saudade, os meus estão bem aqui, ao meu lado, em outro laptop enquanto escrevo esse texto!

Margareth Sales